sábado, 16 de agosto de 2014

Ao Mestre!!!

#notadagarupa

Hoje a nota da garupa não falará sobre algum passeio de moto, e sim sobre um Grande Motociclista, Fotógrafo, Conselheiro e Amigo: o o Mestre Roberto Atobá.



Facebook Roberto Atobá

O Piero sugeriu que eu escrevesse este post, creio eu que na ânsia de eternizá-lo em nossas memórias. E eu aceitei o desafio. Penso que devo começar contando como conhecemos o Mestre, como foi a nossa relação para que vocês entendam o porque de um espaço dedicado a ele.

By Lucas F. Willens



Tudo começou no Fórum XT660.net. O Piero foi o primeiro a participar, e sempre comentava sobre as belas fotos de um cara chamado Atobá, e as mostrava para mim. Passei a admirar o homem sem nem mesmo saber quem ele era, suas fotos sempre mostraram mais que apenas retratos.

Tempos depois resolvi participar do fórum também, pois crescia uma vontade em mim de conhecer mais o mundo das duas rodas. E foi então que comecei a conhecer rostos.


Nosso primeiro contato "direto" com o Mestre foi por causa de um banco, o tal do Banco Erê. Eu e o Piero queríamos um banco mais confortável, e o Atobá queria vender o banco confortável dele, assim surgiu a “Saga do Banco Erê”, sim pois foi preciso muitos kms para este banco sair de Santa Cruz de Cabrália-BA e chegar em Vanini-RS. E assim começava uma amizade.


Conhecemos pessoalmente o Mestre no 2º Encontro Sulista do xt660.net, na Cidade de Cambará do Sul, em Novembro de 2013. Encontro este que reuniu uma cambada de apaixonados pelo mototurismo, pelo off-road.

By Deonir M. Bartnik

Entrega do troféu Corucacas - Maior distância percorrida



Havia outro porém que o trazia para o Sul, o qual fiquei sabendo meses depois. Ele mesmo me contou, e já vos conto em seguida.



Em Janeiro de 2014, iniciei um tópico no fórum que intitulei: Diários de uma futura motociclista. Utilizei o tópico para relatar e relembrar aos marmanjos já ‘expert’ em motociclismo, um pouco do sentimento de aprender a andar de moto. E então, no final de Janeiro o Mestre me contou o outro motivo da sua vinda ao Sul do Brasil, as palavras dele foram estas: “Erica, quando encontrei com vcs no regional de Cambará,uma das coisas que estava fazendo no sul era me encontrar com uma motociclista de SC e depois com mais outras 3 em SP e RJ para fazer uma materia sobre mulheres que andam de moto. Assim que voltei para a bahia,vc começou com seu tópico da futura motociclista e eu fiquei bastante curioso pois tinha acabado de falar com mulheres que já tinham passado por aquilo. Peço que registre tudo com imagens de boa qualidade pois quem sabe um dia a gente faz disto uma história para divulgar para outras tantas. Lamentei muito não saber dos teus planos e não te-la incluido na materia que sai na Pro moto deste mes. Parabéns do seu fã confesso.”

 Meu mundo parou naquele momento! Como assim, o cara que eu tanto admiro é meu fã confesso?! Dei um print e encaminhei pro Piero. Era felicidade que não cabia em mim, não imaginei que meus relatos pudessem realmente mexer com os sentimentos dos ‘marmanjos’. Respondi a ele dizendo que não lamentasse, pois outras oportunidades surgiriam (infelizmente o tempo foi abreviado e não deu espaço para que isto pudesse acontecer).

A partir deste fato, começamos a trocar figurinhas mais frequentes, sobre mototurismo, pilotagem e principalmente fotografia.

Saibam meus caros que Roberto Atobá foi um dos maiores motociclistas de itinerário OFF-ROAD do nosso país. Estava, junto com amigos, organizando uma Expedição ‘De Extremo a Extremo’, no qual o objetivo era cruzar o Brasil por estradas off-road, e aí veio a grande surpresa, o Mestre me convidou para fazer parte do trajeto aqui no RS com eles, cruzar a praia do Cassino. Convite este que precisei recusar, por questões de segurança e para não atrasar a expedição. Não estou pronta para pilotar na areia.

Surgiu, em seguida, outro pedido. O mestre me convidara para ajudar a administrar uma página durante sua viagem, prontamente aceitei. Assim como ele me ajudou na escolha da minha câmera e lentes nova, e já estava me cobrando muito por novas fotos.

Seguimos trocando figurinhas, até o dia em que não tive mais resposta.

E assim, depois de dias de orações, de pensamentos positivos, justamente no Dia do Motociclista (27 de julho) ele nos deixou. Vantuir Boppre descreveu muito bem o sentimento que tomou conta da gente com estas palavras: “Foi uma piada sem graça que tivemos que engolir seco e descobrir que dentre tantas coisas que cabem dentro de um capacete, cabe também um punhado de lágrimas por uma saudade que acabou de puxar o pedal de descanso”.

E assim o sol parecia não brilhar como em suas fotos.



Mestre, como é conhecido entre os amigos do motociclismo, não é em vão, pois quem o conheceu, mesmo que o tenha visto apenas por uma vez, sabe da sua humildade e capacidade de compartilhar conhecimentos.  Certa vez ele me disse “Não é o equipamento que faz uma bela foto Érica, e sim a sensibilidade do fotógrafo, e isso você tem de sobra”. Atobá foi um grande incentivador, sempre me encorajando.

   
Eu e o Piero não temos foto com ele, mas tivemos a honra de sermos fotografados por ele (gosto da foto, mesmo que ela não me favoreça, hehe).

"O casal de Vanini, Wilian Pierozan da Costa e a determinada Érica Zabot"


Amigo, ficarei carente de sua sensibilidade e seus conhecimentos. Mas carregarei os seus sábios conselhos no coração e nas lentes da minha Canonzinha.

Assim como os atobás, agora você segue na mais plena liberdade de que você tanto prezava.

Um amigo motociclista comentou: “Deus te tirou duas rodas, mas lhe concedeu um par de asas”, e é nisso que quero acreditar.


Levanta a poeira por aí meu amigo, vai preparando o terreno para quando a gente chegar.



By André Luiz Pereira



Estou na praia. Um barco desfralda suas velas brancas à brisa matutina e parte em direção ao alto mar. Fico observando até perdê-lo de vista no horizonte, e alguém ao meu lado diz: "Ele desapareceu." Desapareceu? Eu é que não posso mais vê-lo. Naquele exato momento que alguém diz: "Ele desapareceu", há outros observando-o chegar. Outras vozes começama a bradar alegremente: "Ele chegou!" Assim é a morte.

Henry Scott Holland



"Atobá


Pássaro típico do litoral brasileiro, mas muito encontrado
em mares abertos da Bahia.
Homem típico das serras e montes, das Minas Gerais,
mas que não hesitou em pousar no litoral baiano.


Pássaro, cujo formato harmonioso de suas asas,
permite-lhe vôos ousados entre os limites do céu e do mar.
Homem, cuja sintonia certeira com as motocicletas,
permite-se vôos velozes entre os limites do ar e da terra.

Pássaro, que mergulha em águas profundas em busca
de alimento para seu corpo.
Homem, que se entranha nos labirintos das trilhas
em busca de alimento para sua alma.

Pássaro, que aprendi a conhecer
pela curiosidade do nome.
Homem, que eu aprendi a amar pela sede de vida.

Dani Atobá"



segunda-feira, 26 de maio de 2014

Red Flag

O Take the Flag é um projeto do fórum www.xt660.net e pode ser acompanhado através do sítio http://ttf.xt660.com.br/.

Segundo o idealizador do projeto, Anwar Kamel, "O projeto “Take The Flag” é uma atividade interativa de mototurismo que tem como principal foco o espírito de aventura, a liberdade e a descoberta de regiões, culturas, pessoas e projetos. Esse projeto conta com diversas bandeiras (diferenciadas pelas cores) que viajam todo o país e são repassadas de mão em mão nas viagens de motocicleta. Através das informações fornecidas nos cadernos de assinaturas que acompanham as bandeiras, a organização deste projeto elabora e publica periodicamente estatísticas sobre as operações." 

No carnaval os amigos Andre Tomasini e Laerte Premoli, ambos "brazileiros" de Santa Catarina, atravessaram a fronteira e ingressaram na República Rio Grandense. Para recepcioná-los a galera se organizou e montou um passeio pela região de Dois Lajeados e Vespasiano Correa.

Na oportunidade, em plena altitude do Viaduto 13, das mãos de Elieser Fernandes, recebi a Bandeira Vermelha do XT660. Para mim foi uma enorme surpresa, que recebi com orgulho!!! Então, bora rodar!!!!


No pé do 13

A entrega...


O Leão não pode ver um Guardião que já vem "puxar o saco"


No Mula Preta






Solitária


Voltando pra casa




Na segunda-feira, pré feriado de carnaval foi o dia do Off Road punk rock!!!

Leão, Giovani16, Vagner e "El Matador"











No 2º Final de Semana com a Flag, eu e a Érica fizemos um passeio curto pela volta de Vanini.





Logo na quarta, precisei ir à Porto Alegre... optei pelo off road.


Igreja de Santo Antônio de Castro - Carlos Barbosa/RS

Lagoa da Harmonia - Teutônia/RS

Um trem na beira da estrada (Esse passa pelo V13)

Propaganda da Pirelli (MT 21 RallyCross)

Uma passada pelo Salão de Motos em POA. Deixei a bandeira na sombra pra não desbotar.

Nos parreirais de Bento Gonçalves






No final de semana, um pulo à Santa Cruz do Sul


Parada em Muçum para o almoço.


Cheguei em SCS com a bengala "ejaculando" óleo, e fui pra oficina do amigo que fez Hora Extra no sábado à tarde.

Enquanto isso as patroas passeando pela SCS



A Grazi foi atropelada pela xtzinha!!!



No domingo um passeio até sobradinho, conhecer o Marcelo - Kata Trilha, e fazer um off road na volta. Em um posto de combustível onde as patroas ficaram (eu e o 16 tivemos de voltar a SCS resolver uma pendência na moto dele) parou um cara de XT que parece o Deonir M. Bartnik.

E segue o passeio

A XT600 do Marcelo







A bandeira de papel

Gruta do Índio

Cerro Branco - Agudo/RS



Todas as fotos By Érica.... pois como o 16 diz, sou um guardião de araque, pois tenho preguiça até de estender a flag... heheheh


Ah.... tem uma foto By Mim Mesmo!!!
As patroas agitando de Biz



No final de semana pós Santa Cruz do Sul foi dia do 3º Passeio Monte Cuco. Não participei do passeio pois ajudei na organização.... mas a flag deu uma passeada pelo evento.







No feriado da Páscoa tive de dizer um até breve à Flag. Uma esticada até Curitiba para entregá-la ao novo Guardião, Saulo, que a levaria até o Encontro Nacional do Xt 660, realizado em Passos/MG.


A caminho de CWB, a foto clássica no KM 660.


Aguardando o anfitrião Lúcio Bot...


À noite, a passagem da Flag ao novo guardião, Saulo.



Com o novo guardião e o anfitrião da festa.



Agradeço imensamente a oportunidade de ter participado deste projeto. Permaneci com a flag por 40 dias... tá tudo bem... extrapolei o prazo mas foi porque gostaria de estar com a bandeira no 3° Passeio Monte Cuco, e como caiu no final de semana do aníver dos 30....


Pois bem, rodei algo em tordo de 3500 km com a flag.


Vida Longa às TTFs!!!!!